Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sapos do Ano

Evento independente que visa premiar os melhores blogues da nossa praça (não ligado a qualquer plataforma/empresa ou entidade)

Sapos do Ano

Evento independente que visa premiar os melhores blogues da nossa praça (não ligado a qualquer plataforma/empresa ou entidade)

17.10.19

À conversa com os finalistas de 2018 - Sarin - nem lixívia nem limonada

Antes de entrarmos nos nomeados de cada categoria, temos connosco a Sara, autora do blogue Sarin - nem lixívia nem limonada, que diz ter dificuldade em escrever sobre o Sapos do Ano (o que concordamos, visto ser do caraças!). E agradecemos, como a todos, pela participação e por tornarem tudo isto realidade, ano após ano.

O que estão à espera?

 

Não é fácil ser finalista dos Sapos do Ano.

A campanha, os debates com a concorrência, os compassos de espera, a cerimónia de entrega e as roupas e as limusines e a ansiedade e os holofotes… tudo isso é fácil. E eu gosto. Gostaria mesmo sem tal aparato; ou talvez gostasse ainda mais, porque o que ficaria seria o gosto de saber que o que escrevo e como escrevo é apreciado pelos meus pares. Sim, esta parte é boa e vivê-la é fácil.

Mas no ano seguinte torna-se difícil porque somos convidados a fazer um texto. Ao que, claro, não nos podemos furtar. Fazer um texto sobre os Sapos do Ano e sobre o nosso blogue. E descobrimos que a dificuldade não é uma, mas duas.

Primeira dificuldade: Escrever sobre os Sapos do Ano.

O que há para dizer que ainda não tenha sido dito escrito sentido? Por outros, pelos próprios, por mim? E como dizê-lo de forma original, digna do evento e, como ele, envolvente? Agradecer o trabalho da Magda e do David é muito pouco, dizer ser enriquecedor navegar pela comunidade é insuficiente…

Segunda dificuldade: Escrever sobre os Sapos do Ano.

É como fazer resumos de livros: qualquer um os faz. Melhores ou piores, há resumos para crianças e resumos para totós e resumos para estudantes (estudantes?) e resumos porque sim, há resumos para todos os gostos e o problema não é a quantidade nem a qualidade do resumo. O problema é o resumo não ser o livro!

Posso dizer-vos como é bom participar e como é difícil votar nos Sapos do Ano, mas só perceberão mergulhando neste lago imenso. Venham daí! E boas descobertas!

Ah, sim, parece que tenho de falar do meu blogue… Não vai ser possível. O meu blogue não é blogue de que se fale, é blogue onde se fala. Da humanidade, da cidadania, da sociedade, da língua que falamos, do que apetecer. E de ideias, das minhas e das de quem visita e por lá fica na conversa. Aliás, nem é bem blogue, nasceu ao engano e é assim como que um burgo com ruas que ramificam por obra de quem está e graça de quem aparece. O melhor será visitar e tentar perceber.

4 comentários

Comentar post

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D