Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blogzillas do Ano

Evento independente que visa premiar os melhores blogues da nossa praça (não ligado a qualquer plataforma/empresa ou entidade)

Evento independente que visa premiar os melhores blogues da nossa praça (não ligado a qualquer plataforma/empresa ou entidade)

23.11.19

Finalistas 2019 - A Casa da Gorda

Hoje conversámos com uma das finalistas do Sapos do Ano, na categoria de Humor. Ela é autora do blog A Casa da Gorda.

  1. Conta-nos como foi o nascimento do teu blog. Foi um parto bastante simples, não foi preciso epidural porque quando cheguei já estava com muita dilatação e ao fim de pouquíssimos dias o meu corpo já tinha voltado ao seu estado natural, tal como estava antes do parto. Houve alguma estranheza de inicio, mas depois foi um processo de amor evolutivo, com algumas birras à mistura. O normal.
  2. Como tem sido a interação com os outros bloggers? A Gorda dará resposta a esta questão abusando da terceira pessoa. Tem funcionado para o CêRê7 e como a Gorda também considera ser a “namba one” da risota, parece um cunho interessante que a Gorda quer dar a esta espécie de entrevista. A Gorda não continuará para as restantes perguntas porque rapidamente lhe começará a doer a cabeça. A interação da Gorda com os restantes bloggers tem sido agradável, até ao momento não apareceu ninguém cujo passo merecesse ser acertado com uma manobra de kong fu teclado. Aliás, a Gorda tem sido extraordinariamente bem tratada e a simpatia de todas até deixa a Gorda como que abismada e sem palavras (coisa que raramente se dá). A Gorda tem um trabalho exigente que não lhe dá muita margem de manobra nem tempo disponível e quando está em casa ocupa-se de estar de befe ao alto a catar peças de Lego do chão. Ocasionalmente a Gorda consegue ler algumas coisas do mundo dos blogs e fica bastante satisfeita com o que se escreve por aí.
  3. O que achas que leva as pessoas a gostarem do teu blog e a seguirem-te? O que leva as pessoas a seguir-me terá certamente que ver com uma tendência dessas pessoas de fazer uma coisa que no estrangeiro dá pelo nome de stalking. É um bocado creepy, mas uma pessoa habitua-se a ver os seus conteúdos perseguidos online. Enquanto não me fotografarem a comprar papel higiénico, eu estou descansada. Quanto ao dizer que as pessoas gostam, não estou certa que gostar seja a expressão adequada. O que acontece é que o mundo está num estado de esquizofrenia extremo e as pessoas dão consigo a achar que já estão a ficar malucas, depois fazem uma visita à Casa da Gorda e percebem que há pelo menos uma gaja mais choné que elas. Saem dali como que aliviadas. Acho que é isso, é uma sensação de alivio que faz com que as pessoas voltem.
  4. Consideras que o teu blog está bem categorizado nos Sapos do Ano? Eu para ser sincera, atendendo aos conteúdos publicados e ao esforço envidado para apoiar as pessoas nas suas decisões de dia a dia, para que encontrem a felicidade e o equilíbrio interior, acredito que o segmento adequado para a Casa da Gorda seria o lifestyle. Contudo as pessoas lá sabem. 
  5. Quem levarias contigo para uma a ilha de Adão e Eva? Bom, eu se pudesse escolher não ia, mas é. Porque tanto quanto é do meu conhecimento isto é uma espécie de sítio em que a cultura gastronómica é muito fraca. Aquilo é mais cobras e maçãs e eu sou mais mousse de Oreo, leitão da Bairrada e presunto com melão. De qualquer modo se me arrastassem à força para um bote levava uma Kardashian (qualquer uma que eu não gosto de descriminar) e um taco de basebol. A Kardashian é entretenimento, assim podia fazer de conta que estava a ver TV todo o dia e o taco servia para arrear umas porradas na cobra sempre que a gaja me viesse com conversas ao ouvido e não me deixasse ouvir o programa.

 

E ainda deixou-nos uma mensagem:

Gorda, 36 anos, signo de pinheiro, ascendente de anão e estrela cadente de rabo. Acredito na paz no mundo e sonho com o dia em que o King Jong Pum patina engasgado com um écler fora do prazo.

Gosto de todos os pratos de bacalhau, menos bacalhau à Brás porque se me arrepia a espinha com o terrincar da cebola. Não gosto de estender roupa e de passar a ferro. Gosto de casas que já vêm com empregada. Não gosto de nódoas de pêssego porque custam a sair. Gosto de almoços e de sais para o estômago porque a pessoa às vezes custa a arrotar. Não gosto de couves de Bruxelas. Gosto de mousse de chocolate caseira. Não gosto de pessoas sonsas. Adoro pessoas que têm muito amor interior.

Normalmente os meus olhos não dizem nada, mas o oftalmologista refere que tenho meia dioptria no olho esquerdo. Provavelmente porque será meio lerdo face ao olho direito que, apesar de ver bem, sempre me pareceu ligeiramente torto.

Ao contrário dos meus olhos, o meu estômago fala bastante e por vezes começa com aquele discurso do “busrguidguiasgygs” que é quando já está com um ratito e fazia mesmo falta uma sande de torresmos para acalmar a fera.

Sei tocar flauta e ainda me lembro da letra do hino da alegria. Também tenho muito jeito com ioiós e monto estupendamente bem puzzles adequados a crianças com mais de 6 anos.

Suspeito que o meu QI esteja significativamente abaixo da média uma vez que não consigo completar um único teste de inteligência daqueles que aparecem na internet.

 

Podem votar nesta final aqui

2 comentários

Comentar post

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D